Alface

Pensou em dieta... Alface!!!

Publicado em
Alface

   Alface é aquele alimento que vem à cabeça quando pensamos em dieta devido ao seu baixo índice calórico e a grande quantidade de fibras que ajudam a emagrecer.   

   É uma das culturas mais populares, plantada e consumida em todo o território brasileiro. Os vários cultivares desta hortaliça adaptam-se bem à nossa diversidade de clima.

    Existem sete principais tipos de alface que têm propriedades bem parecidas entre si, mas com sabores, texturas e cores diferentes:

Americana - É a mais comum no supermercado e é usada para fazer a tradicional Caesar Salad. Tem cor verde-claro, sabor leve e textura firme. É o tipo com menor índice de vitaminas, mas tem valores significativos de vitamina C.

Lisa - Tem um amargor levemente acentuado, não possui a crocância da alface crespa e é comum em lanches e hambúrgueres. Tem bastante cálcio e potássio.

Crespa - Se destaca por possuir fósforo e cálcio na composição. O sabor é bem semelhante ao da alface lisa, mas tem a textura crespa, com o nome já diz. É ótima para dar um aspecto bonito à salada.

Frisada - No meio gastronômico é conhecida como alface frisée e, além dos mesmos minerais da alface crespa, ainda contém ferro, vitamina A e C. É comum na gastronomia francesa, geralmente acompanhada com molho de mostarda dijon.

Mimosa - Com as pontinhas rochas, tem um amargor mais acentuado, mas que não a torna desagradável. O aspecto é delicado e também pode ser encontrada completamente verde.

Romana - Lembra a acelga, mas com folhas menos duras, verdes e levemente crocantes. Tem vitamina K e magnésio.

Roxa - Com as pontas bem roxas, tem alto poder antioxidante, vitamina K e é ótima para decorar as saladas.

   A alface é um legume muito fácil de cultivar. Não gostam de tempo quente, por isso nos meados do Verão gostam de ter uma sombra parcial. Preferem um solo que retenha a humidade para evitar que sequem.

   A alface, como a maior parte dos vegetais folhosos, é rica em fibras, que melhoram o trânsito intestinal. Uma dessas fibras é a pectina, uma fibra solúvel considerada poderosa, que forma um gel que, quando em contato com a água do bolo alimentar, permite que a glicose seja liberada mais lentamente, evitando picos elevados na glicemia do sangue. Isso é bom não só para prevenir e controlar diabetes do tipo 2, mas também para impedir a sensação de satisfação rápida e superficial causada pelo açúcar — que sempre termina em mais ansiedade.

   Tal como outras culturas folhosas, é caracterizada por um sistema radicular superficial que exige um rigoroso controle de irrigação.
A alface é uma cultura plantada e consumida em todo o território brasileiro, mesmo com as diferenças climáticas e os hábitos de consumo. Por esta razão, é uma das hortaliças mais cultivadas em hortas domésticas. São necessários 4 kg de semente para se plantar um hectare.

   Rendimentos de alface podem chegar a até 50-70 toneladas por hectare, dependendo da variedade, número de ciclos de plantio e condições do solo.
A duração do ciclo plantio/colheita em solo é de 60-90 dias no outono e no verão 21 a 30 dias. 

Referências:
Agricultura biológica: alface. Disponível em: https://agriculturabiologica.pmvs.pt/blog/2014/08/31/alface-tudo-sobre-alface/
Cultura: Alface. Disponível em: https://jornalagricola.wordpress.com/2011/09/14/cultura-alface/
Alface. Disponível em: https://naandanjain.com.br/culturas/alface/
Alface: benefícios, malefícios, tipos. Disponível em: https://www.ativosaude.com/beneficios-dos-alimentos/alface/

Deixe um comentário