Apresentado o primeiro nano satélite brasileiro

“O nano satélite brasileiro (VCUB-1), o primeiro inteiramente nacional, será a ferramenta ideal e definitiva para a conectividade no Campo”

Publicado em
Apresentado o primeiro nano satélite brasileiro

A Visiona – empresa estratégica de defesa focada na integração de sistemas espaciais para endereçar as necessidades do Programa Espacial Brasileiro – é uma joint venture formada pela Embraer e a Telebrás, com apoio da Embrapa, apresentou publicamente no dia oito de agosto, do presente, o primeiro nano satélite, totalmente brasileiro, que será lançado para o espaço, no primeiro semestre do ano que vem (2020). A demonstração teve lugar no painel FIA – Fórum Regional de Inovação Agropecuária – uma promoção do MAPA, em Cascavel – Paraná, com apoio do Sebrae.

VCUB é uma plataforma de alta-performance com arquitetura similar aos grandes satélites e irá validar os subsistemas desenvolvidos pela Visiona (AOCS, OBDH e SDR). Baseia-se numa plataforma CubeSat 6U de 10 kg, com dimensões de 30 x 20 x 10 cm; para conectividade IOT no campo; capacidades conjugadas de redes de banda estreita e; sensoriamento remoto; permitirá o desenvolvimento de soluções inovadoras para a agricultura 4.0. 

O programa VCUB brasileiro contempla: Condomínio de satélites nacionais; câmera óptica com 3,5m de resolução; 4 bandas ou 8 bandas espectrais; revisitas diárias; múltiplas coberturas anuais do Brasil; alta precisão de apontamento e estabilidade; rádio definido por software (SDR) para coleta de dados; maior disponibilidade de conexão e; quantidade de dados trafegada para IoT. O satélite que tem o apoio da Ebrapa, ficará em órbita a uma altura de 600 km da terra, capaz de fotografar um carro, a uma distância de São Paulo em Curitiba. 

Por quê a conectividade é importante? Na preparação do solo: Plataformas de coleta de dados de solo, hidro meteorológicas, aplicação de fertilizantes e corretivos a taxas variáveis; Plantio: poderá ser flexível, de acordo com potencial produtivo; Monitoramento da lavoura: Preparação do solo, mapeamento de pragas e doenças, aplicação inteligente de defensivos agrícolas; Colheita: Geração de mapas de produtividade, colheita utilizando máquinas com sensores de produtividade.

“Se o Brasil já é hoje um dos maiores exportadores de alimentos do mundo, além de aumentar e melhorar esta posição, no futuro próximo poderá também ser um grande exportador de tecnologia, sobretudo no setor de nano satélites”.

A tecnologia desenvolvida pela Visiona, em parceria com a Embrapa, é o que faltava para conectar o país do agro, que conta com serviços precários de internet e até de telefonia nas grandes cidade, muito mais deficiente nas pequenas. No campo, o maior prejudicado pela falta do sinal digital, já que os equipamentos são cada vez mais equipados com as mais modernas tecnologias, a cobertura é quase inexistente. Assim mesmo, o campo é responsável por 46% das exportações brasileiras e 21% do PIB. Com estes números se torna fácil imaginar o que a tecnologia deste satélite representará em termos de aumento e melhoria da produção, com o consequente crescimento das exportações e do PIB. 

“O nano satélite brasileiro (VCUB-1), o primeiro inteiramente nacional, será a ferramenta ideal e definitiva para a conectividade IOT no Campo. As capacidades conjugadas de redes de banda estreita e sensoriamento remoto, permitirão o desenvolvimento de soluções inovadoras para a agricultura 4.0”

Por JCD

 

 

 

 

MADERO, uma marca para o mundo 2450

MADERO, uma marca para o mundo

“Vimos não um, mas vários produtos; todos que compõem o cardápio MADERO, de qualidade inconfundível – sem igual – razão pelo crescimento exponencial da marca”

Deixe um comentário