X

Fale Conosco:

Aguarde, enviando contato!

Matéria

Gabiroba: uma fruta boa a explorar

A fruta é uma fonte rica em vitaminas do complexo B, sais minerais, niacina, carboidrato e proteínas. Além de ser um fruto consumido in natura, a guabiroba pode ser utilizada no preparo de pudins, sorvetes, doces e sucos

Publicado em
  • Compartilhe:

A gabiroba (também conhecida como guabiroba, guabirova, guavirova, gavirova, araçá-congonha, gabiroba do campo, gabiraba), são os nomes populares dado ao fruto produzido pela Campomanesia xanthocarpa, árvore da família Myrtaceae. Em Mato Grosso do Sul, é conhecida por “Guavira”.

 

Outros nomes:

  • guabiroba-amarela-da-mata; guabiroba-d'água; guabiroba-de-casca-vermelha; guabiroba-da-chapada; guabiroba-da-flor-cheirosa; guabiroba-da-folha-fina; guabiroba-amarela-da-mata; guabiroba-das-gerais; guabiroba-de-brasília; guabiroba-de-cachorro; guabiroba-de-doce; guabiroba-de-minas; guabiroba-de-sete-cascas ou araçá-do-campo; guabiroba-do-campo; guabiroba-do-cerrado; guabiroba-felpuda; guabiroba-lisa; guabiroba-mirim; guabiroba-da-miúda-de-viamão; guabiroba-nativa; guabiroba-peluda; guabirobinha.

     

    A gabiroba é uma das mais de trezentas espécies de frutas nativas existentes no Brasil. A fruta é uma fonte rica em vitaminas do complexo B, sais minerais, niacina, carboidrato e proteínas. Além de ser um fruto consumido in natura, a guabiroba pode ser utilizada no preparo de pudins, sorvetes, doces e sucos. Em alguns licores, a fruta ainda pode ser usada como matéria-prima principal.

    A época de colheita da fruta se dá nos meses de novembro até o mês de maio, dependendo do local.

     

    De acordo com a medicina popular, possui excelentes qualidades curativas, sobretudo em tratamentos de ordem gastrointestinal, tal como a diarreia. Quando passadas por infusão, as folhas da gabiroba podem ser utilizadas em banhos de imersão relaxantes para aliviar dores nos músculos; Atua na prevenção da gripe, no alívio de cãibras e no tratamento de doenças do trato urinário; Quando transformada em chá, a casca da árvore de guabiroba é uma aliada no tratamento de complicações como uretrite e cistite.

     

    Sua utilidade culinária é variada e pode compor diversos pratos e receitas. É possível incluir o ingrediente em sobremesas, saladas de fruta, mousses, picolés e sorvetes. A gabiroba tem origem brasileira, é comum nos biomas do Cerrado e da Mata Atlântica. Pode ser encontrada quase no Brasil inteiro. A gabiroba pode ser descrita como uma árvore de porte mediano, afinal, sua altura varia entre dez a vinte metros. Além disso, a árvore ostenta uma copa densa. 


    Seu tronco é ereto e possui caneluras de trinta a cinquenta centímetros de diâmetro, com cascas fissuradas em tons castanhos. As folhas, por sua vez, são opostas, simples, brilhantes e membranáceas, além de serem assimétricas.

    Apesar das características marcantes das árvores amazônicas e do cerrado, existem muitos tipos de gabiroba. De fato, nas matas tropicais e úmidas, é possível encontrar a chamada gabiroba da Amazônia ou guabiroba açu.

    A gabiroba miúda (Campomanesia laurifolia), por outro lado, é nativa do cerrado, sendo uma variação mais comum, mas também mais saborosa da fruta.

    Afora estas espécies mais conhecidas, outras que podem ser encontradas são:

    Gabiroba do campo (Campomanesia adamantium); Gabiroba do litoral (Campomanesia guaviroba), nativa dos arredores dos rios da região da Mata Atlântica, conhecida também como “guavira”; Gabiroba arbórea (Campomanesia xanthocarpa), objeto de estudos para usos medicinais. 


    A lista de algumas das nossas frutas nativas que ainda não são comercializadas, que muitas vezes podem causar estranheza ao público:

    Banana de macaco; Marôlo; Araticum cagão; Taperebá; Cariota de espinho; Pau alazão; Marajá; Fruta de ema.


    Já as
    nossas frutas nativas comercializadas são mais populares, mas, mesmo assim, muitas pessoas desconhecem sua verdadeira origem, brasileira.

    São elas: Maracujá; Abacaxi; Goiaba; Cacau; Caju.

     

    A sua reprodução é feita por meio de sementes, que devem ser semeadas na sequência da colheita, para maior taxa de germinação.

 

Pelo jornalista Jacó Carlos Diel

 

 

Fonte: https://mundoeducacao.bol.uol.com.br/biologia/gabiroba.htm

https://agro20.com.br/gabiroba/

https://pt.wikipedia.org/wiki/Gabiroba


Por Jacó Carlos Diel
Por Jacó Carlos Diel

30 Abr 20 • 5 min


Qual a tua avaliação deste artigo?