Peru

O símbolo da Ceia Natalina

Publicado em
Peru

    O peru é natural das florestas da América do Norte e era domesticado e já consumido por índios norte-americanos, sendo considerado uma espécie de prêmio entre tribos que conquistavam e dominavam um novo território.

    O hábito de comer peru no Natal surgiu em Massachusetts, EUA, em 1621, quando peregrinos e nativos norte-americanos comemoraram uma grande colheita na época, a ave foi servida no Dia de Ação de Graças. A ave, robusta e composta por grande quantidade de carne, foi então considerada então um símbolo de fartura. Nos EUA, é costume comer peru no Dia de Ação de Graças, data criada para comemorar e agradecer a boa colheita.

Peru

    Por ser mais barata e engordar facilmente, foi levada pelos espanhóis para a Europa no século XVI, tornando-se símbolo de alimento das grandes ocasiões. Em nosso país, o peru é apreciado desde a época colonial por influência de americanos e europeus.

    O peru é uma ave que se alimenta de grãos e insetos. Parente próximo do pavão, é muito conhecido na Europa e na América, por ser um dos pratos principais da ceia natalina e do Dia de Ação de Graças, porém, atualmente, a carne de peru está sendo incluída aos poucos no cardápio do dia a dia do ser humano por suas vantagens nutricionais, pois é rica em proteínas, vitaminas e sais minerais, possui baixo teor de gorduras saturadas, é muito rica em nutrientes como as vitaminas B3 e B6. Seu consumo diário pode trazer muitos benefícios para o ser humano.

    A criação doméstica de perus está em pleno crescimento no Brasil. A carne é saborosa, magra e vem conquistando mais espaço nos balcões refrigerados dos supermercados. Com seus detritos produz-se excelente esterco, de qualidade superior ao de boi ou cavalo, utilizado para adubar hortas e canteiros; suas penas são usadas para fins diversos como preencher travesseiros, almofadas e acolchoados e seus ovos, apesar de serem de grande qualidade para o consumo humano, são destinados à incubação. Resistente e rústico, é uma ave fácil de lidar. Não tem restrição ao clima e se desenvolve bem em pequenas áreas. É de fácil criação, que não exige grandes investimentos por parte de seu criador, o que a tornou uma ótima alternativa para criadores comerciais e domésticos.

    Graças às suas condições de clima, solo e tecnologia, o Brasil produz 337 mil toneladas de carne de peru por ano, das quais 90% são direcionadas à exportação, já que o consumo interno fica muito restrito à época de Natal.

    Seja peru ou chester, o importante do Natal é reunir as pessoas que mais gostamos e compartilhar o verdadeiro espírito dessa época do ano. Boas Festas! 

Referências:
NOBUO, Paulo. Significado do peru no Natal: de onde surgiu a tradição? Disponível em:http://piquiras.com/blog/como-surgiu-o-habito-de-comer-peru-e-chester-no-natal/
TEIXEIRA, Silvana. Perus - você sabe como iniciar uma criação doméstica? Disponível em: https://www.cpt.com.br/
MATHIAS, JoãO. Como criar peru. Disponível em: https://revistagloborural.globo.com


ANDRADE, Samia. Aprenda a Criar Perus. Disponível em: https://www.portalagropecuario.com.br
Como surgiu o hábito de comer peru e chester no Natal? Disponível em: http://piquiras.com/

Deixe um comentário