X

Fale Conosco:

Aguarde, enviando contato!
Fácil Alimentos - Blog Fácil Alimentos - Blog

Matéria

Filtrar
Agronegócios
Economia
Empreendedorismo
Logística
Mercado
Produção
Serviços
Tecnologia

PITAYA: cultura de fácil manejo e alto valor agregado!

Fruta exótica que chama a atenção por sua aparência peculiar com cores contrastantes e formato diferente que atrai o olhar do consumidor.

Publicado em
  • Compartilhe:

A pitaya é uma fruta tropical originária da América Latina, conhecida por sua beleza e benefícios à saúde como: ação antioxidante, protegendo as células do organismo e combatendo doenças cardiovasculares, sendo muito cultivadas nos últimos anos  e consumidas aqui no Brasil.

Cultivo: Versátil e fácil de cultivar, a pitaya se adapta bem a diferentes ambientes, com seu grande poder ornamental, que resulta em uma floração incrível, durando de 8 a 12 horas no período noturno, com grandes flores brancas amareladas. A frutificação é abundante e acontece aproximadamente três vezes ao ano.

A pitaya possui um alto valor no mercado nacional e internacional. No Brasil, seu cultivo se deu início na década de 90, com produção concentrada na região de Catanduva SP, principalmente. Atualmente SP ainda é o maior produtor nacional da fruta, com uma média de 85 mil kg por safra.

A colheita da pitaya no Brasil ocorre de dezembro a maio, e corresponde à reposição da produção no período de entressafra na Europa – por isso é muito indicada para exportação.

Formação de mudas: podem ser feitas de duas formas, por sementes e por estacas. O primeiro método consiste em retirar as sementes de frutas maduras, lavá-las e semeá-las em um recipiente preparado com areia lavada e substrato e após cinco meses de crescimento, é hora de transplantar as mudas mais desenvolvidas para um vasos com maior profundidade e com solo leve e bem drenado. O segundo método, por estacas, deve-se retirar as estacas cuidadosamente de uma planta saudável, respeitando as articulações do caule, plantar em um local escuro, de preferência em um vaso com solo bem drenado, já que as regas devem ser diárias no primeiro mês. Após o crescimento da muda, o transplante para um novo vaso pode ser feito. Usa-se estacas ou bambus para sustentar a estrutura da planta, evitando o desmoronamento e facilitando a colheita.

Espécies: Existem diversos tipos de pitaya, sendo agrupados em quatro gêneros: Stenocereus, Cereus, Selenicereus e Hylocereus. As principais espécies comerciais são a pitaya vermelha com polpa branca (Hylocereus undatus), pitaya vermelha com polpa vermelha (Hylocereus costaricensis), pitaya amarela (Selenicereus megalanthus), que apresenta casca amarela e polpa branca, e a pitaia-do-cerrado ou saborosa (Selenicereus setaceus), que pode ser encontrada naturalmente em regiões do Brasil.

Independentemente da espécie, a planta que produz a pitaya é perene, com longevidade entre 15 e 20 anos, e trepadeira, sendo necessário o uso de um suporte e sustentação das estruturas.

 

REFERÊNCIAS

Como plantar e cultivar pitayas? Dicas práticas! Disponível em: https://blog.plantei.com.br/como-plantar-pitaya/

Qual o manejo adequado para cultivo da pitaia? Disponível em: https://revistacampoenegocios.com.br/qual-o-manejo-adequado-para-cultivo-da-pitaia/

Como plantar pitaya. Disponível em: https://revistagloborural.globo.com/vida-na-fazenda/como-plantar/noticia/2019/12/como-plantar-pitaia.html

 

 


Por Thaíse Pires
Por Thaíse Pires

01 Out 21 • 4 min


Qual a tua avaliação deste artigo?

Leia também